Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Entre o começo e o fim...

Porque é no curto espaço de tempo entre o começo e fim... que a vida acontece ...

Entre o começo e o fim...

Porque é no curto espaço de tempo entre o começo e fim... que a vida acontece ...

03.07.18

Como tudo começou...


Cristina Ferreira

Lágrimas.jpg

 

 

Quando entrei não tinha nada e quando saí "da ecografia", saí com um "nodulo suspeito"...

 

É muito difícil descrever o que senti naquele momento e nos momentos que se seguiram... Incrédula, lembro-me que apenas repetia, mentalmente, e vezes e vezes sem conta: "Biopsia... Nódulo suspeito... Biopsia... Nódulo suspeito... Biopsia..." Bloqueara... Não conseguindo perceber como era possível aquilo estar a acontecer-me a mim, lembro-me de ter perguntado, insistindo como um disco de vinil riscado: "Como assim, uma biopsia? Como assim, uma biopsia?" Entre o apática e o apavorada, sentia as lágrimas que já cobriam os meus olhos querendo soltar-se, mas insistia como que desafiando o destino: "Mas a minha médica disse que era só rotina! Que devia ser só um quistozinho! Para eu não me preocupar..."

 

"Calma... Uma coisa de cada vez... Vou pedir um exame mais detalhado... Pode ser só hormonal..." Mas algo no olhar dele insinuou que ele tinha experiência demais para me conseguir tranquilizar...

 

Sai do gabinete escuro... "Não! Não! Não! A mim não! Não é possível..." Era sexta-feira, passava das 18h20 e tinha de ir buscar o meu filho. Tentei não chorar... Já estava atrasada. Demasiado atrasada. Não havia tempo para chorar.

 

Liguei-lhe: "Estou quase a chegar, espera só uns minutinhos..." "Aguenta, aguenta, aguenta! Ainda não! À frente dele não... Não podes preocupá-lo..." Finalmente avistei-o... O meu menino pequenino que já é um bocadinho muito grande, mas ainda é um bocadinho pequenino pequenino... Ele entrou no carro e eu tentei disfarçar: "Correu bem o dia, meu anjo?" Mas ele conhecia-me bem demais: "Que tens mamã? Estás estranha... Que se passa? Estiveste a chorar...?"

 

Disfarcei a verdade: "Fui fazer aqueles exames da médica... Posso ter de fazer uma pequena cirurgia... Como a avó, lembras-te?" Ele sabia que a minha mãe fora operada há uns anos atrás, mas não sabia que tinha sido apenas um quisto nos ovários... "Não queria nada fazer uma cirurgia... Tu sabes: a mamã é uma medricas!" Riu-se aceitando... Estacionei, subimos juntos... 

 

Pousei rapidamente os sacos que carregava na mão e lançando-lhe um rápido "Vou adiantar o jantar..." entrei na cozinha ainda escura. Tranquei a porta e aí, só aí, permiti que as lágrimas que até minutos antes tentara bloquear, finalmente se soltassem...  

 

6 Comentários

Comentar post